Comissária Kadri Simson garante que Portugal não será esquecido nos novos projetos prioritários de interligação energética da União Europeia

Comissária Kadri Simson garante que Portugal não será esquecido nos novos projetos prioritários de interligação energética da União Europeia

A comissária europeia para a Energia, Kadri Simsoon, garantiu ontem à tarde, na Comissão ITRE – Indústria, Investigação e Energia, que Portugal não será esquecido nas novas orientações sobre os projetos prioritários da Infraestrutura Transeuropeia de Energia (Regulamento TEN-E), acrescentando acreditar que o facto de este regulamento estar entre as prioridades da futura Presidência Portuguesa do Conselho Europeu poderá ajudar a concretizar uma solução para Portugal e outros territórios periféricos.

A promessa foi feita em resposta a uma pergunta da eurodeputada do PSD Maria da Graça Carvalho, a qual lembrou que Portugal “é uma região periférica, mas tem uma elevada produção de energia renovável, tendo por isso expetativas de ser abrangido pelas interligações que irão ser financiadas com carater prioritário pela União. Podemos contar consigo para não deixar para trás regiões como a nossa ou o Báltico? Pode garantir que estaremos interligados, e que teremos uma Europa interligada e um Mercado Interno de Energia?”, questionou a eurodeputada.

Sim, com certeza”, disse a comissária europeia. “Nesta renovação do Regulamento TEN-E iremos abordar as situações de muitos estados-membros. E fiquei muito feliz por saber que esta renovação será também uma das prioridades da Presidência Portuguesa, que começa no dia 1 de janeiro. Espero que isto nos ajude a encontrar uma boa solução já no futuro próximo”.

Na sua intervenção, Maria da Graça Carvalho defendeu também que a digitalização deve ser uma prioridade na reorganização dos sistemas energéticos europeus que será tornada possível pelos projetos prioritários para a Infraestrutura Transeuropeia de Energia.

Paulo Rangel
Lídia Pereira
José Manuel Fernandes
Maria Graça Carvalho
?lvaro Amaro
Cláudia Monteiro de Aguiar