Fundação Francisco Manuel dos Santos vence Prémio Cidadão Europeu 2018

Fundação Francisco Manuel dos Santos vence Prémio Cidadão Europeu 2018

A Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS) foi galardoada com o Prémio Cidadão Europeu 2018, por proposta de Carlos Coelho, José Manuel Fernandes e Sofia Ribeiro. A FFMS é uma organização portuguesa sem fins lucrativos, fundada em 2009, que se dedica ao estudo das principais questões políticas, económicas e sociais nacionais, europeias e internacionais. Actualmente, é editora de inúmeros estudos e ensaios sobre temas da actualidade e produtora de materiais audiovisuais, digitais e televisivos ligados às principais matérias de cidadania. O Deputado Carlos Coelho, que já saudou a Fundação, destacou “o papel da FFMS, hoje incomparável na sociedade portuguesa, na promoção do debate sobre os principais desafios do futuro de Portugal, designadamente aqueles que estão ligados à afirmação do país na União Europeia e do papel dos cidadãos europeus no projecto de integração”.

O Deputado ao Parlamento Europeu, que tem visto as suas candidaturas sairem vencedoras em todas as edições do Prémio, acrescentou que “o reconhecimento do Parlamento Europeu ao trabalho da Fundação Francisco Manuel dos Santos é muito significativo quando estamos a um ano das eleições europeias. Através dos muitos canais de comunicação e informação de que dispõe, a FFMS é hoje um dos principais agentes de promoção de uma cidadania activa e, em concreto, de uma intervenção cívica preparada e informada. Isso é um contributo da maior relevância para a democracia portuguesa e para a ideia de cidadania europeia”.

No texto da candidatura, assinado pelos deputados social-democratas, podemos ler que “entre as centenas de obras (de académicos de excelência, profissionais destacados e personalidades proeminentes) destacamos “Portugal e a Europa: novas cidadanias”, “A Democracia na Europa”, “O Futuro da União Europeia” ou “A identidade cultural europeia”, entre outros; e os estudos científicos “O impacto económico dos fundos europeus”, “Três décadas de Portugal Europeu: balanço e perspectivas” ou “Portugal Europeu”, entre outros. Quatro conferências nacionais foram realizadas sobre temas europeus, entre as quais se destacam o “2.º Encontro Anual da Fundação - Portugal Europeu: E agora?” ou “O que é o populismo?”. Além disso, a presença assídua da FFMS em televisão tem abordado temos de grande impacto europeu: desde logo, a colaboração com o programa “Os Europeus” (Sic Notícias), mas também a produção do “Fronteiras XXI” (RTP), que conta programas sobre temas como as migrações ou o populismo, com grande audiência. A gestão do portal Pordata (que tem uma ferramenta “Europa”) destaca-se como portal de acesso público a estatísticas credíveis e fiáveis para todos os cidadãos, associada a um POP - Portal de Opinião Pública, ambos com centenas de indicadores sobre a UE”.

O Prémio do Cidadão Europeu é uma distinção atribuída pelo Parlamento Europeu, desde 2008, a cidadãos ou organizações que tenham contribuído, de forma notável, para a promoção da integração e para a compreensão mútua entre os povos europeus. A primeira instituição portuguesa distinguida foi a Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) e, nos últimos três anos, foram distinguidos, entre outros, o Conselho Nacional de Juventude (CNJ), o Instituto Marquês de Valle Flôr ou a Plataforma de Apoio aos Refugiados, todos candidatados por Carlos Coelho.

A chancelaria do Prémio do Cidadão Europeu distinguiu 50 personalidades e instituições europeias, entre as quais dois candidatos portugueses: a FFMS e António Pinto Monteiro.

Paulo Rangel
Lídia Pereira
José Manuel Fernandes
Maria Graça Carvalho
Álvaro Amaro
Cláudia Monteiro de Aguiar