Maria da Graça Carvalho defende que os Açores têm condições excecionais para liderar no setor espacial

Maria da Graça Carvalho defende que os Açores têm condições excecionais para liderar no setor espacial

A eurodeputada do PSD, Maria da Graça Carvalho, participou, esta quinta-feira, na Conferência Internacional sobre a Estratégia dos Açores para o Espaço, a decorrer em Ponta Delgada, onde afirmou que “os Açores e, muito graças a estes, Portugal já entraram na Era Espacial”, apontando as condições excecionais da Região para liderar no setor espacial.

À margem da sua participação nesta iniciativa, a eurodeputada reiterou que “os Açores têm condições excecionais, pelas suas características naturais e localização, para desenvolver atividades ligadas ao setor espacial, conforme a evolução registada ao longo das duas ultimas décadas, da qual sou testemunha”, recordando-se do seu envolvimento nas negociações com a Agência Espacial Europeia (ESA) que possibilitaram a formalização do projeto espacial em Santa Maria.

Recorde-se que a agora Eurodeputada, enquanto Ministra da Ciência, Inovação e Ensino Superior, liderou com sucesso as negociações entre o XVI Governo da Republica, o então Governo dos Açores e a ESA no sentido de se instalar a primeira Estação Móvel de Rastreio e Telemetria Europeia na ilha de Santa Maria.

Para Maria da Graça Carvalho, “os Açores, como esta estratégia demonstra, estão prontos para voos mais altos no domínio espacial, literalmente. A evolução verificada, independentemente dos governos que a lideraram, quer na Republica, quer na Região, tem sido continua, consistente e persistente. Desde a inauguração da estação de rastreio, às várias infraestruturas de grande importância para o setor acolhidas noutras ilhas do arquipélago, à intenção de implementar um programa internacional de lançamento de satélites e, ainda, à ambição de levar para a Região o vaivém Space Rider da ESA. Muito tem sido feito!”, afirma.

A ex Ministra social democrata destaca ainda “o papel importante desempenhado (e que ainda pode vir a desempenhar) pela Universidade dos Açores neste processo, tendo em conta que a estratégia não assenta apenas em infraestruturas e equipamentos, é acompanhada de planos para o desenvolvimento de tecnologias relacionadas com o Espaço, programas educativos, programas de capacitação e mobilização do sistema cientifico e tecnológico da Região”.

Para Maria da Graça Carvalho, “o setor espacial é uma oportunidade de crescimento económico e de criação de emprego para os Açores e para o país, reforçada com as mudanças verificadas na industria espacial nos últimos anos. No inicio, a estratégia espacial era concentrada em grandes organismos públicos e internacionais, agora é muito mais descentralizada e há uma maior participação dos privados, envolvendo até PME’s. É, sem dúvida, uma janela de oportunidades para nós”, defende.

A finalizar, a Eurodeputada deixa o desafio “de maior aproveitamento dos programas de financiamento comunitário para atrair mais privados, nomeadamente com o envolvimento em parcerias com a União Europeia, sendo que existe uma nova geração de parcerias público-privadas, ao todo onze, para as quais foi relatora no Parlamento Europeu, que assumem um importante peso no programa europeu para a ciência e inovação, o Horizonte Europa. Nada me deixaria mais satisfeita do que ver os Açores a darem o exemplo, envolvendo-se com sucesso nestas parcerias!”.

Paulo Rangel
Lídia Pereira
José Manuel Fernandes
Maria Graça Carvalho
Álvaro Amaro
Cláudia Monteiro de Aguiar